terça-feira, 31 de maio de 2016

Novelas: Infidelidade, Adultério e as Entradas da Alma


A grande batalha de Satanás agora é pelo terreno da mente humana. Como cristãos, deveríamos evitar tudo aquilo que tem contribuído para a degeneração e corrupção da nossa mente. O que dizer das inúmeras traições que as novelas “pregam” todos os dias em milhões de lares? Elas abrem brechas enormes para os primeiros passos em direção ao pecado da infidelidade. Não se esqueça de que somos transformados diariamente por aquilo que contemplamos. Com essa representação tão superficial e banal da infidelidade e do adultério na TV, a lealdade – em qualquer tipo de relação – tem ficado cada vez mais rara. As novelas em exibição atualmente contam algumas destas estórias: 




Vivemos em uma sociedade em que o adultério é uma prática cada vez mais recorrente, porém, ver essa prática sendo tratada como "natural e aceitável" nas novelas, constrange.

Uma pesquisa feita pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) sugere uma ligação entre as novelas e um aumento no número de divórcios no Brasil nas últimas décadas. O “Manual de Atenção à Saúde do Adolescente”, feito pela Coordenação de Desenvolvimento de Programas e Políticas de Saúde de São Paulo, destacou o seguinte: “Os jovens têm recebido um alto conteúdo sexual nas programações veiculadas pela TV, através de mensagens que valorizam a erotização e as relações casuais. Nas novelas e seriados, a maioria dos atores são jovens e belos, mudam constantemente de parceiros, não usam métodos contraceptivos nem de proteção contra DST e, mesmo assim, não se contaminam, não engravidam e os finais são sempre felizes”. 

A despeito de toda problemática do pecado do adultério e da infidelidade, que destrói não somente o atingido, mas principalmente o que pratica (Provérbios 6:32), o ponto que gostaria de abordar diz respeito às “Entradas da Alma”.

As "Entradas da Alma" são os nossos sentidos. Deus nos deu olhos e ouvidos para que possamos enxergar as maravilhas de Sua criação e de Sua lei, e para que possamos ouvir a Sua mensagem, mas, se permitirmos, Satanás vai usar esses sentidos para alcançar a nossa mente.

Claro que essa é mais uma tentativa de tornar o adultério, pecado que destrói as famílias e leva muitas vidas à infelicidade, uma prática aceitável. Minha pergunta é: Você tem permitido que esse tipo de argumento invada o seu lar? Você tem permitido que suas crianças e adolescentes contemplem e tenham acesso a esse tipo de argumento?
“Temos todavia uma obra a fazer a fim de resistirmos a tentação. Aqueles que não querem ser presa dos ardis de Satanás devem bem guardar as entradas da alma; devem evitar ler, ver, ou ouvir aquilo que sugira pensamentos impuros. A mente não deve ser deixada a divagar ao acaso em todo o assunto que o adversário das almas possa sugerir.” (Ellen G. White - Mensagens aos Jovens, p. 285) 
Concluo, citando as palavras de Paulo em Filipenses 4:8: 
“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento”.
Deus nos abençoe!

Novo Tempo lança primeiro jogo gospel nacional para Instagram


A gravadora Novo Tempo lançou hoje uma novidade inédita: o primeiro jogo nacional desenvolvido para a rede social Instagram. A história mostra um personagem que acabou de entrar na faculdade e que, para fazer novos amigos, precisará fazer escolhas entre manter os seus princípios cristãos ou omiti-los. No enredo, o jogador toma o lugar deste personagem e faz as escolhas por ele. Cada uma delas levará a um final distinto. Intitulado “Diferente”, o jogo pretende atingir a faixa etária entre 16 a 25 anos (adolescentes que sonham cursar uma faculdade e jovens que já ingressaram neste ambiente). No entanto, ele é recomendado para pessoas de qualquer idade.

Quem chegar até o fim, conhecerá um pouco do novo trabalho do pastor e cantor Daniel Lüdtke, que será lançado em DVD e CD no mês de junho com o título “Diferente”.

Esse tipo de aplicação chegou ao mercado norte-americano em 2015. Diferente dos convencionais, as imagens não têm animação, mas são jogos interativos que tem despertado a atenção das pessoas, principalmente do público jovem e adolescente.

Para conhecer a novidade, siga o Instagram da gravadora Novo Tempo (@gravadorant).

Com informações de Notícias Adventistas

Escravidão moderna atinge 46 milhões de pessoas - O que diz a Bíblia?


Ao menos 45,8 milhões de pessoas vivem hoje uma situação de escravidão moderna no mundo, revela um relatório da ONG Walk Free Foundation divulgado na noite de ontem (30). O Índice Global da Escravidão estima que o Brasil tenha 161 mil pessoas em condições análogas à de escravos. 

Cinco países do mundo (Índia, China, Paquistão, Bangladesh e Uzbequistão) comportam 58% do total de “escravizados”. Somente a Índia abriga 18,4 milhões de pessoas em situação de escravidão. Em termos proporcionais, quem encabeça o ranking é a Coreia do Norte. A estimativa é que 1 em cada 20 pessoas esteja nessa situação no país asiático (1,1 milhão no total). Segundo o relatório, estudos mostram que a pobreza e a falta de oportunidade desempenham um papel importante no aumento da vulnerabilidade à escravidão moderna. Acesse o relatório completo no site Global Slavery Index.

Uma acusação comum contra os cristãos: "A Bíblia defende a escravidão!" Não. A Bíblia regulamenta e humaniza temporariamente a escravidão, uma prática que nunca esteve nos planos de Deus.

As leis divinas para Israel estabeleciam regras inovadoras para a relação senhor e servos. A servidão, conforme regulamentada no Antigo Testamento, em nada se parecia com a escravidão que permeia nossa mente: navios negreiros, senzalas, açoites, estupros.

Biblicamente, os servos tinham direitos e deveres. E ao lermos a Bíblia inteira, percebemos um movimento social em direção à igualdade e liberdade. E se a Palavra de Deus fosse levada à sério desde o início, a escravidão não teria durado tanto tempo. O Senhor estabeleceu o Ano do Jubileu, a cada 50 anos, terras seriam restituídas, todos os escravos seriam libertos, devedores seriam perdoados, e a igualdade seria celebrada ao lado da liberdade:
"Declarareis santo o quinquagésimo ano e proclamareis a libertação de todos os moradores da terra. Será para vós um jubileu: cada um de vós retornará a seu patrimônio, e cada um de vós voltará a seu clã." (Levítico 26:10)
O Novo Testamento fecha a questão deixando bem claro que no cristianismo 
"não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus." (Gálatas 3:28)
Deus estabeleceu liberdade e igualdade. O homem é que não consegue implementar isso. Até hoje.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Bíblia ganha tradução feita com emojis e linguagem da internet


Um dos livros mais traduzidos da história ganhou agora uma nova versão: em emojis. Um usuário anônimo, que prefere ser conhecido apenas pelo nome de ðŸ˜Å½ (emoji sorridente com óculos escuros), criou uma versão da Bíblia que substitui por ícones o máximo de palavras possíveis.

Chamada (adequadamente) de "Bible Emoji, a tradução toma como base a Bíblia King James, publicada pela primeira vez no século XVII na Inglaterra e o livro mais publicado em língua inglesa até hoje. Além de emojis, ela também traduz as escrituras usando abreviações e gírias comuns da internet. Ela tem como subtítulo "Scripture 4 Millennials" (algo como "escrituras para millennials").

Em entrevista ao Guardian, ðŸ˜Å½ disse que o projeto levou cerca de seis meses. Para realizá-lo, ele utilizou um programa que ele próprio criou, que liga 80 emojis a cerca de 200 palavras correspondentes. "Eu achei que se a gente avançasse 100 anos no futuro, haveria uma versão da Bíblia em emojis", disse ðŸ˜Å½, "então eu achei que seria divertido tentar criá-la".

Inicialmente, ðŸ˜Å½ tinha a intenção de lançar a Bible Emoji para todas as plataformas possíveis. No entanto, ele encontrou problemas com algumas delas "como a da Amazon por exemplo que não tem suporte para emojis". Por ora, ela está disponível no iTunes por US$ 2,99.

Ainda ao Guardian, ðŸ˜Å½ não quis revelar se ele era católico ou não. No entanto, ele declarou que "acredita 💪mente [emoji de braço musculoso flexionado] na mensagem de Jesus". (UOL)

22 livros adventistas para ler antes da volta de Jesus


Com a ajuda de alguns amigos, preparei estas sugestões de livros publicados em português que considero extremamente relevantes para adventistas. Obviamente, não pretendemos fazer algo definitivo. Nem todos poderão concordar, principalmente com os materiais que ficaram de fora. Mas, com esta lista, queremos incentivá-lo a pensar em obras que foram importantes em sua jornada cristã. Nada mais importante do que começar essa troca de materiais entre nós.

• Espiritualidade e vida devocional
1. DE BENEDICTO, Marcos. O Brilho da Vida: Experimente o poder de Deus em seu dia a dia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2008. 184 páginas.

2. MAXWELL, Randy. Se Meu Povo Orar. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2004. 176 páginas.

3. RICHARDS JR., H. M. S.; GUILD, Daniel R. Boas-novas Para VocêMeditações Diárias 2004. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2004. 377 páginas.

• Igreja e missão
4. BULLÓN, Alejandro. A Alegria de Testemunhar: Como falar de Jesus de maneira eficaz. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2013. 104 páginas.

5. BURRILL, Russell. Como Reavivar a Igreja do Século 21: O poder transformador dos pequenos grupos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2005. 176 páginas.

6. _______. Discípulos Modernos: O desafio de Cristo para cada membro da igreja. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2006. 144 páginas.

7. GANE, Barry. O Caminho de Volta: Como reconquistar os jovens que abandonaram a igreja. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2013. 112 páginas.

• Doutrinas bíblicas
8. GIBSON, L. James; RASI, Humberto M. (Orgs.). Mistérios da Criação. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2013. 190 páginas.

9. HOLBROOK, Frank B. O Sacerdócio Expiatório de Jesus Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2002. 272 páginas.

10. Nisto Cremos: As 28 Crenças Fundamentais da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2008. 480 páginas.

• História e identidade adventista
11. KNIGHT, George R. Uma Igreja Mundial: Breve história dos adventistas do sétimo dia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2000. 158 páginas.

12. _______. Em Busca de Identidade: O desenvolvimento das doutrinas adventistas do sétimo dia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2005. 224 páginas.

13. _______. A Visão Apocalíptica e a Neutralização do Adventismo: Estamos apagando nossa relevância? Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2010. 112 páginas.

• Estudo e exposição da Bíblia
14. KNIGHT, George R. Caminhando com Jesus no Monte das Bem-aventuranças – Meditações Diárias 2001. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2001. 376 páginas.

15. PFANDL, Gerhard (Org.). Interpretando as Escrituras: Descubra o sentido dos textos mais difíceis da Bíblia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2015. 384 páginas.

16. REID, George W. (Ed.). Compreendendo as Escrituras: Uma abordagem adventista. Engenheiro Coelho: Unaspress, 2007. 363 páginas.

17. REIS, Emilson dos. Introdução Geral à Bíblia: Da revelação até os dias de hoje. Engenheiro Coelho: Unaspress, 2016. 176 páginas.

• Evangelho e salvação
18. KNIGHT, George R. A Mensagem de 1888. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2003. 203 páginas.

19. _______. Pecado e Salvação: O que é ser perfeito aos olhos de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2016. 232 páginas.

20. LARONDELLE, Hans K. O que é Salvação. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 1998. 114 páginas (formato de bolso).

21. PAROSCHI, Wilson. Só Jesus: Porque em nenhum outro há salvação. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 1997. 128 páginas.

22. VENDEN, Morris. 95 Teses Sobre Justificação Pela Fé. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 1990. 290 páginas (formato de bolso).

Obras de referência (para pesquisar e consultar)
1. Bíblia de Estudo Andrews. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2015.

2. DEDEREN, Raoul (Ed.). Tratado de Teologia Adventista do Sétimo Dia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2011.

3. FORTIN, Denis; MOON, Jerry (Orgs.). Enciclopédia de Ellen G. White. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, a ser publicado.

Matheus Cardoso (via Missão Pós-Moderna)

Testemunho: Jornalista adventista conta sua luta contra a leucemia


Um diagnóstico de leucemia mieloide aguda mudou completamente a vida da jornalista adventista Alessandra Guimarães. Não somente seu trabalho como repórter do programa Anjos da Esperança da TV Novo Tempo teve que ser interrompido, mas também todos seus projetos e sonhos. O que você vai conferir agora neste vídeo do programa Identidade Geral da Rede Novo Tempo de Comunicação é muito mais do que uma entrevista, é uma lição de garra e superação de alguém que está lutando todos os dias pela vida e que, apesar tudo, tem na fé a sua força para encontrar a cura. 


Nota: A Alessandra Guimarães está se preparando para começar mais um ciclo de quimioterapia. Por favor, continuem orando por ela. Como vocês viram e poderão ver na entrevista, essas orações tem feito muito bem a ela e tem feito toda a diferença no seu tratamento.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

A violência está com os dias contados


O sangue e a crueldade, todos os dias, são estampados nos jornais do mundo todo. A notícia que abalou os brasileiros, relacionado ao estupro da adolescente de 16 anos, é apenas a pequenina ponta do gigantesco e imensurável iceberg.

É difícil dizer se houve, em algum momento da história, uma indiferença e crueldade tão imensuravelmente maior contra a vida. O que sabemos é que, pelas notícias diárias de criminalidade, nada mais parece chocar, assustar, assombrar, surpreender ou aterrorizar a sociedade de uma maneira tão impactante, marcante e perturbadora.

Parece estranho, mas o que fica evidente é que um surto de espanto e pavor de ontem não é muito diferente do surto de hoje e, claro, não será diferente do surto de amanhã. A diferença mesmo está na intensidade, pois na medida em que o tempo passa, a selvageria, desumanidade, truculência e improbidade se tornam maiores, intensas e, infelizmente, cada vez mais comuns.

O que desejo dizer é que nos assustamos não tanto mais pela hediondez do crime, mas pela onda ou intensidade em que essas coisas têm se tornado corriqueiras. Paulo, o Apóstolo, ao contemplar o futuro, não observou nada diferente quanto a realidade da natureza moral e racional do que vemos hoje. Não fomos pegos de surpresa porque a Palavra de Deus já havia nos alertado do aumento da maldade humana. O apóstolo afirmou o que “os homens maus e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados.” (II Timóteo 3:13).

Esta tônica da profecia de Paulo é desconcertante e temerosa, pois, segundo sua perspectiva, melhor dizendo, segundo a perspectiva de Deus, no mundo não haverá dias melhores. Jesus também não foi otimista quando, ao descrever os dias finais da história, com ênfase em Sua segunda vinda, retratou o mundo como se parecendo com os dias de Ló e com os dias de Noé (Lucas 17).

Nos dias de Ló, o pecado mais agravante, além de outras, era a promiscuidade sexual em todo seu viés e, nos dias de Noé, o pecado mais agravante, além de outras, era a violência em todo seu viés. As duas ideias se unificam no discurso de Jesus para ilustrar que o fim dos tempos, ou dias que antecedem a segunda vinda de Cristo, poderia, quem sabe, se tornar tão vigorosamente mais degradante, promíscuo e insano quanto as duas situações citadas por Ele juntas.

Se isto for inconcebível para você, então, eu diria, no mínimo semelhante, mas com a diferença de que a força do pecado de Sodoma e dos dias de Noé estariam fazendo parceria para atuar com força em nossos dias. Ou seja, é como se o passado de Sodoma e dos dias de Noé estivessem sendo transportados para o século XXI. É assustador imaginar assim, mas por outro lado, pode se tornar confortante se tivermos em mente que o mesmo juízo que recaiu sobre Sodoma e sobre a geração de Noé, será o mesmo juízo que recairá sobre o mundo impenitente de hoje. Deus intervirá hoje como interveio no passado. A qualquer momento Ele fará a Sua visitação extraordinária.

Não há dúvidas de que estamos todos chocados com o terror em cada esquina. A vida se tornou tão insignificante que muitos torturam e matam uma pessoa como se ela fosse um mero inseto. Jesus havia predito que por causa da multiplicação da iniquidade, o amor de muitos se esfriaria (Mateus 24:12). Amor, sentimento, dor, sofrimento humano ser tornaram profundamente banais para muitos. Mas, o que conforta é saber que a justiça honrará a todos os que foram humilhados e pisoteados pelo pecado. Uma certeza bem gratificante é que o mal, na agenda de Deus, está com data marcada para acabar.

Por mais que pareça tardia, a justiça de Deus não tarda e não falha. Na verdade, ela ocorre no tempo oportuno e certeiro. Viva confiante e com a certeza da providência divina. Olhe para sua sombra e contemple a presença do anjo do Senhor ao seu lado. Viva com os olhos no céu com a convicção da justiça de Deus. 

Jamais deixe de orar antes de inserir os seus pés para fora de casa. Sempre peça a Deus que conserve ao seu lado a presença do anjo protetor. Lembre-se que todos os que confessam o nome de Deus e vivem ao Seu lado podem, mesmo em meio a tanta tribulação, viver na paz de espírito. Ele está atento a todas as desordens que tem trazido dor e medo e fará justiça por cada uma delas. Alegre-se, porque a nossa estadia nesta terra está chegando ao fim. Lembre-se:
“Porque Deus conduzirá a Juízo tudo quanto foi realizado e até mesmo o que ainda está escondido; quer seja bem, quer seja mal.” (Eclesiastes 12:14)
“Porque determinou um dia em que julgará o mundo com o rigor de sua justiça, por meio do homem que para isso estabeleceu. E, quanto a isso, Ele deu provas a todos, ao ressuscitá-lo dentre os mortos!” Uns debocham, outros creem.” (Atos 17:31)
“Porquanto, todos nós deveremos comparecer diante do tribunal de Cristo, a fim de que cada um receba o que merece em retribuição pelas obras praticadas por meio do corpo, quer seja o bem, quer seja o mal. Perfeita reconciliação com Deus.” (II Coríntios 5:10)

Nota: "Mais e mais claro está se tornando que os habitantes do mundo não estão em harmonia com Deus. Nenhuma teoria científica pode explicar a firme marcha de obreiros iníquos sob o comando de Satanás. Em toda multidão, anjos ímpios estão em operação, instando homens a cometer atos de violência. A perversidade e crueldade dos homens alcançarão tal atitude que Deus Se revelará em Sua majestade. Muito em breve a impiedade do mundo terá atingido seu limite e, como nos dias de Noé, Deus derramará os Seus juízos." (Ellen G. White - Olhando Para o Alto - MM, 1983, p. 328)

quinta-feira, 26 de maio de 2016

A marcha que nunca foi para Jesus!


A 24ª edição da Marcha para Jesus aconteceu nesta quinta-feira (26) em São Paulo, feriado de Corpus Christi. Milhares de fieis se reuniram na região da Luz por volta das 10h em torno dos trios elétricos onde artistas da música gospel se apresentaram. De acordo com a organização, 500 denominações cristãs e 14 trios elétricos participaram do evento neste ano. Este evento espalhou-se pelo Brasil de forma gradativa e hoje faz parte do calendário de várias cidades. 

No Brasil, o evento começou a ser realizado em terras pauliceias no ano de 1993, organizado pela Igreja Renascer em Cristo através de seus líderes, o “Apóstolo” Estevão Hernandes e “Bispa” Sônia Hernandes, ambos conhecidos internacionalmente após sérios problemas com a justiça brasileira e americana, em razão de suas respectivas infrações contravencionais. Além disso, são conhecidos por serem expoentes do neopentecostalismo, bem como por pregar as perniciosas doutrinas da restauração apostólica triunfalista e teologia da prosperidade.

O conceito “Marcha para Jesus” começou na Inglaterra em meados de 1987, através de uma ação ecumênica entre protestantes e católicos de Londres. A organização foi iniciativa dos líderes carismáticos britânicos Gerald Coates, Roger Forster, Lynn Green e Graham Kendrick. Segundo eles, a passeata pública foi feita para demonstrar a “unidade entre a Igreja” e expressar a fé cristã para a sociedade, bem como promover atos proféticos de batalha espiritual contra espíritos territoriais malignos, dominantes da Europa secularizada.

Como todo ano, o evento no Brasil reúne diversas denominações evangélicas, reunidas em uma grande procissão pelas ruas da capital paulistana. Mas afinal, qual o objetivo desta Marcha para Jesus no Brasil? O interessante é que não vemos em nenhum lugar no Novo Testamento a ordem evangelística de marchar para Jesus, ou no Antigo Testamento para Deus, muito menos nas literaturas dos pais da igreja, reformadores, missionários e evangelistas por toda a história. Não há, absolutamente, nenhum fundamento espiritual cristão para se praticar marchas evangelísticas. Na verdade, eu não consigo imaginar como alguém pode se converter em um evento como este.

Além do “presidente” da Marcha para Jesus em destaque, também são destacados os trios elétricos que puxam a “micareta gospel”, ao som de músicas triunfalisticamente antropocêntricas, preparadas cuidadosamente para massagear o ego dos participantes em detrimento do evangelho que confronta o caráter. É no mínimo questionável esse tipo de evangelismo, pois a palavra quase não é proclamada devido ao foco na euforia festiva, salvo raras exceções quando é falada ou cantada, mas de maneira superficial e distorcida, onde não há entendimento profundo das Escrituras.

A verdadeira "marcha para Jesus" não acontece com data marcada, guiada por trios elétricos, ao som de gritos de guerra, mas acontece todos os dias, pelas ruas, avenidas, corredores de supermercados, shoppings, bancos, onde pessoas conquistadas pelo amor de Jesus são conduzidas como evidência do poder do Evangelho. A marcha que Cristo ensinou à sua igreja foi outra, silenciosa e efetiva, tal qual o sal penetrando no alimento (Mt 5:13); pessoal e de relacionamento, como na igreja primitiva (At 8:4); cotidiana e sem cessar, como entre os primeiros convertidos (At 2:42-47).

Corpus Christi - Você sabe, realmente, o que isso significa?


Hoje é feriado. Feriado católico. Para a alegria de quase todos, católicos ou não. É dia de Corpus Christi. Você sabe, realmente, o que isso significa?

Não é apenas o nome de uma cidade americana, no Texas. Trata-se de uma das principais celebrações da Igreja Católica. Corpus Christi é uma expressão latina que significa corpo de Cristo. Acontece sempre na quinta-feira seguinte ao domingo da “santíssima Trindade” que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. 

É uma festa que exige o comparecimento obrigatório dos católicos que participam da missa, conforme estabelece a Conferência Episcopal de cada país. A festa foi decretada em 1264 pelo Papa Urbano IV. Como nesse dia os devotos realizam procissões, em muitas cidades portuguesas e brasileiras é costume ornamentar as ruas com tapetes de colorido vivo e desenhos de inspiração religiosa. A razão de toda essa celebração é a “presença real e substancial de Cristo na Eucaristia”. Assim, acredita-se que o pão servido na cerimônia seja o próprio corpo real de Jesus. É conhecida, teologicamente, como “doutrina da transubstanciação”.

Este é, sem dúvida, um dos grandes temas divergentes entre católicos e demais cristãos. A razão principal está na aplicação literal que os católicos fazem da forma figurativa que Jesus utilizou na Santa Ceia. Ele declarou ser o corpo dEle, pão. E o vinho, sangue.

É oportuno lembrar que Jesus gostava de utilizar essas ilustrações ou comparações. Facilitava a comunicação dEle com as pessoas simples. Em João 14:6, por exemplo, Ele diz ser “o caminho”. Já no capítulo 10:7, Ele afirmou ser “a porta”. É óbvio que Ele não estava se transformando literalmente numa porta ou em uma estrada. Simplesmente falava de forma figurativa.

A Bíblia mostra claramente que a eucaristia (santa ceia) é uma cerimônia simbólica, uma lembrança do sacrifício de Cristo em nosso favor. Ao ser instituída por Jesus, substituiu a festa da Páscoa que simbolizava a libertação dos israelitas da escravidão, a preservação da vida dos primogênitos através do sangue do cordeiro e uma demonstração de fé no sacrifício que Cristo faria no futuro.

Após a vinda de Cristo para morrer na cruz, a páscoa passou a simbolizar a libertação dos homens da escravidão do pecado, a aquisição da vida eterna através do sangue de Cristo e uma demonstração de fé no sacrifício que Ele fez.

Essa comemoração, porém, não seria feita apenas uma vez por ano, mas em todo o ritual da ceia do Senhor. Portanto, a discordância entre católicos e não-católicos está justamente nessa transubstanciação ou não dos elementos (pão e suco de uva) no corpo de Cristo.

Pr. Amilton Menezes - (via Novo Tempo)

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Igreja Adventista lança aplicativo Bíblia + para instrutores bíblicos


Já está disponível para download o aplicativo para tablets chamado Bíblia +. O recurso foi desenvolvido para auxiliar instrutores bíblicos e pessoas que gostam de utilizar recursos digitais para conhecer mais sobre a Bíblia Sagrada. Segundo o pastor Everon Donato, diretor de Ministério Pessoal da Igreja Adventista em oito países sul-americanos, explicou que a ideia foi a de oferecer um conteúdo interativo, graficamente moderno e que, de forma resumida, apoia o conteúdo bíblico.

Há, no Bíblia +, gráficos, vídeos e textos que tratam desde a estrutura do santuário terrestre até esquemas para compreensão profética de livros como Daniel e Apocalipse. O aplicativo pode ser instalado nos sistemas operacionais iOS e Android. “É um dos primeiros materiais produzidos para apoiar quem dá estudos ou gosta de estudar a Bíblia com outras pessoas”, afirma Donato.

O pastor Rafael Rossi, diretor de Comunicação da Igreja Adventista em oito países sul-americanos, salienta que o material é muito interessante, também, porque privilegia quem está familiarizado com novas tecnologias digitais. O material impresso do Bíblia + já foi lançado e divulgado junto às congregações locais. (Com informações de Notícias Adventistas)

Para baixar, escolha uma das lojas abaixo:

Aplicativo-pioneiro-ajudara-instrutores-biblicosAplicativo-pioneiro-ajudara-instrutores-biblicos2

Dia do Orgulho Nerd - O que os cristãos podem aprender com os nerds?


O Dia do Orgulho Geek, também conhecido por Dia do Orgulho Nerd, é comemorado anualmente em 25 de maio em todo o mundo. A data foi criada em homenagem à estreia do primeiro filme da franquia Star Wars (Star Wars, Episódio IV: Uma Nova Esperança), lançado em 25 de maio de 1977 e considerado um grande marco para a cultura nerd.

No dia 25 de maio ainda é celebrado o Dia da Toalha, uma comemoração que também serve de homenagem para a cultura geek e nerd. O Dia da Toalha é uma homenagem dos fãs da série "O Guia do Mochileiro das Galáxias" e ao seu autor, o escritor Douglas Adams.

Nerd é um termo que descreve, de forma estereotipada, uma pessoa que exerce intensas atividades intelectuais, que são consideradas inadequadas para a sua idade, em detrimento de outras atividades mais populares. Pode descrever uma pessoa que tenha dificuldades de integração social e seja atrapalhada, mas que nutre grande fascínio por conhecimento ou tecnologia.

Série The Big Bang Theory
O nerd é um raro caso que é o que é em um mundo em que todos querem ser o que não são. Só os nerds admitem que, mesmo adultos, ainda leem quadrinhos, jogam videogame e colecionam bonequinhos de brinquedo. 

Só eles vestem sem vergonha algumas roupas de seus super-heróis favoritos e não têm medo de dizer que as piadas mais engraçadas do seriado The Big Bang Theory são sobre computação ou física quântica.

Eles são o exemplo vivo de que a coerência (e a persistência) pode vencer a massa. Em uma sociedade na qual as pessoas insistem em ser o que não são, quem é coerente com a mensagem que prega faz sucesso. E o pior é que os nerds conquistaram a admiração e o respeito da sociedade defendendo valores e representando ícones como o Super-Homem, Luke Skywalker ou Mario Bros., mesmo que, para isso, tenham enfrentado o bullying antes do bullying ter sido inventado! 

Já nós, cristãos, temos ao nosso lado a bandeira da saúde, da educação, da caridade e da família. Ainda assim, mesmo com causas tão nobres e heroicas, muitos continuam acovardados, sem fibra para viver na plenitude a mensagem que representam. Têm medo de pagar o preço. E logo nós, que seguimos Jesus Cristo, o maior ícone de todos os tempos! E logo nós, que acreditamos no amor, o mais sublime dos valores! 

O exemplo dos nerds pode nos “salvar” da incongruência entre o que cremos e o que praticamos, entre o que dizemos e o que somos. Como não precisamos aderir a tudo aquilo que os nerds defendem, deveríamos ao menos seguir seu exemplo de perseverança, autenticidade e coerência.

Vida longa, próspera... ou melhor, eterna pra todos nós!

terça-feira, 24 de maio de 2016

Conheça o livro missionário para a campanha Impacto Esperança 2017


Reunidos na sede da Divisão Sul-Americana em Brasília (DF) nesta terça-feira 24 de maio, líderes da Igreja Adventista do Sétimo Dia realizaram cerimônia de dedicação do livro que será distribuído em 2017 no projeto Impacto Esperança. Com o título Em Busca de Esperança, a obra é uma versão adaptada do livro História da Redenção, de Ellen G. White. O presidente sul-americano da igreja, pastor Erton Köhler, apelou para que, em meio à crise, os líderes saiam do barco, deem um passo de fé e joguem a boia da salvação para o povo. 

Marina Silva analisa atual cenário político brasileiro na TV Novo Tempo


Ela começou sua carreira política em 1984 e desde então não parou mais. Foi vereadora de Rio Branco (AC), deputada estadual, senadora e ministra do Meio Ambiente de 2003 a 2008. Em 2010, se candidatou pela primeira vez à presidência da República e em 2014 se tornou a terceira candidata mais votada do país com 22 milhões de votos. No ano passado, conseguiu o registro do seu partido, a Rede Sustentabilidade. Nessa entrevista, a ambientalista, historiadora, ex-ministra e ex-senadora Marina Silva conta um pouco de sua infância no Acre, comenta alguns momentos de sua trajetória política e traz o seu olhar sobre o cenário nacional.


Nota: A Rede Novo Tempo de Comunicação, assim como a Igreja Adventista do Sétimo Dia, não apoia políticos ou mesmo partidos. Ou seja, não é por entrevistar pessoas desse meio que apoiamos suas propostas ou então concordamos com as suas decisões. As entrevistas de cunho político do programa Identidade Geral, assim como do departamento de Jornalismo da Novo Tempo, tem um objetivo: informar você sobre os acontecimentos do país, para que assim, você possa tomar as suas próprias decisões.

A falta de ética na política brasileira e a ética cristã


A ética é a parte da Filosofia que estuda os juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente a determinada sociedade, seja de modo absoluto. A ética, portanto, é o estudo dos valores que regem a conduta humana subjetiva e social. É o parâmetro que temos para julgar as ações que beneficiam ou prejudicam a vida humana neste mundo e nesta sociedade. A palavra ética tem origem na palavra ethos, que tem a ver com os costumes das pessoas. No latim é traduzida por mos ou mores (plural) que em português é ‘moral’. Ética contém os princípios da base da moralidade nos indivíduos e na sociedade, que leva a uma conduta aceitável para a convivência entre os seres humanos.

O clamor por “ética na política” se faz ouvir em toda parte. Todavia, desconstruído pelo relativismo moral e pelo individualismo de nossos dias, qualquer clamor por “ética na política” carece de fundamentos coerentes que lhe permitam fazer pronunciamentos morais e moralizantes.

Qual a base para se clamar por honestidade, sensibilidade, verdade, sinceridade, integridade e altruísmo na política se estes são conceitos considerados relativos e subordinados ao pragmatismo individualista, conforme a mentalidade de nossa época? Qual a base para se clamar em prol dos oprimidos, excluídos e sem-nada do nosso país se o ser humano é visto como fruto do meio e da seleção natural, onde sobrevivem os mais aptos, leia-se, os mais espertos, independentemente dos meios que se utilizam para isto?

Parece que neste momento da história do Brasil, nossos políticos perderam completamente seus parâmetros éticos. E a impunidade os ajuda no seu esforço de destruir e lançar ladeira abaixo as referências que fazem a vida humana tolerável e serena. Mas acredito, todavia, que a fé cristã oferece as condições necessárias para um clamor coerente por ética na política brasileira.

Vista da perspectiva cristã, a ética pode ser definida como o estudo da vida ética ensinada na Bíblia. A ética cristã em sua essência, é normativa, enquanto a ética secular é mais descritiva. Vai muito além dos costumes, comportamentos ou atitudes, pois tem a ver com o bem e mal revelados nas Sagradas Escrituras, e isso em termos absolutos. Em suma, a ética cristã se distingue da ética secular por se pautar não em padrões humanos de comportamento moral, mas em princípios divinos, ditados pelo próprio Deus, que por sua vez apresentam traços do caráter perfeito do Criador.

É significativo o pensamento de Oscar Wilde sobre ética comparando com caráter: 
“Chamamos de ética o conjunto de coisas que as pessoas fazem quando todos estão olhando. O conjunto de coisas que as pessoas fazem quando ninguém está olhando chamamos de caráter.” 
Esse pensamento é íntimo com o que nós, adventistas do sétimo dia, defendemos: a base de tudo é o caráter, que deve ser semelhante ao nosso Criador. O caráter tem por princípio o amor, que consta de modo prático nos Dez Mandamentos, a Lei de Deus. O amor é o princípio geral que deve ser nossa base para nossa ética de vida. O amor é o fundamento, a ética a aplicação desse fundamento. O fundamento, os outros não podem ver, mas o que fazemos, que é a ética, isso podem ver. 

A ética de Jesus está contida nos Seus ensinos e é ilustrada pela Sua vida. O tema central da mensagem de Jesus é o conceito do “Reino de Deus”. Uma das melhores sínteses da ética de Jesus está contida no Sermão da Montanha (Mateus 5 a 7). Os seus discípulos devem caracterizar-se pela humildade, mansidão, misericórdia, integridade, busca da justiça e da paz, pelo perdão, pela veracidade, pela generosidade e acima de tudo pelo amor. A moralidade deve ser tanto externa como interna (sentimentos, intenções).

Veja o que Ellen G. White, em Jesus, Meu Modelo, na página 162, nos diz sobre a ética de Jesus:
"A ética apontada pelo evangelho não reconhece outro padrão senão a perfeição da mente e da vontade de Deus. Deus requer de Suas criaturas conformidade com Sua vontade. A imperfeição de caráter é pecado, e pecado é transgressão da lei. Todos os atributos virtuosos do caráter se concentram em Deus, formando um todo harmonioso e perfeito. Toda pessoa que aceita a Cristo como seu Salvador pessoal tem o privilégio de possuir esses atributos. Essa é a ciência da santidade. 
Quão gloriosas são as possibilidades que se deparam à raça caída! Por intermédio de Seu Filho, Deus revelou a excelência que o homem é capaz de atingir. Através dos méritos de Cristo, o homem é erguido de sua condição depravada, purificado, e tornado mais precioso que as barras de ouro de Ofir. Ele tem possibilidade de se tornar companheiro dos anjos na glória, e de refletir a imagem de Jesus Cristo, resplandecendo mesmo no magnificente esplendor do trono eterno. Ele tem o privilégio de aceitar pela fé o fato de que através do poder de Cristo ele se tornará imortal." 
A fonte da ética cristã é o caráter de Deus, pois o homem é imagem e semelhança do seu Criador. A conduta moral dos filhos de Deus nos seus relacionamentos reproduz os atributos morais de Deus: A justiça, o amor, a bondade, a verdade, a pureza. Para os cristãos, Jesus Cristo é a encarnação perfeita do mais perfeito conceito de ética, que Ele revelou em todo o seu ministério, cujo ápice está na cruz do Gólgota. Em Filipenses 2:14,15, Paulo demonstra entender essa verdade.
"Fazei tudo sem murmurações nem contendas, para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo."
Os cristãos devem viver a ética cristã como opção pessoal na sua conduta em todos os seus relacionamentos. Pela sua conduta exemplar e pela palavra, denunciar os desvios éticos da sociedade. A mais veemente denúncia contra a falta de ética na sociedade será sempre o viver do cristão conforme a ética de Jesus. É o que o Mestre afirma em Mateus 5:16: 
“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”.
Não custa sonhar que um dia a fé cristã possa influenciar nosso país, e moldar nossa cultura com uma cosmovisão bíblica, oferecendo as bases morais, espirituais e lógicas para a ética na política.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

O cachorro de Ellen G. White


Ellen G. White teve um cachorro enquanto esteve na Austrália. Era um cão de guarda, a quem ela deu o nome de Tiglate-Pileser, provavelmente porque ele poderia ser hostil às pessoas que considerasse possíveis inimigos. Mas a Sra. White parecia sentir afeto por ele, até mesmo por ter-lhe dado esse nome bíblico em referência a um cruel rei assírio (2 Crônicas 28:20).

Aqui está o que Arthur White escreveu sobre o assunto em Ellen G. White: The Early Elmshaven Years, 1900-1905, v. 5, p. 19:

"As fotografias em sépia ajudam a contar a história do trabalho na Austrália. Nelas se vê o instituto eletro-hidropático de Adelaide. Há fotografias de algumas igrejinhas bonitas que Ellen White visitou e ajudou financeiramente... Há retratos de amigos e cenas da casa dela em Sunnyside. Uma página foi reservada só para seu cão de guarda, Tiglate-Pilester, em Sunnyside. Convém lembrar que algumas regiões da Austrália foram ocupadas por condenados, e como alguns de seus descendentes aparentemente herdaram as tendências de seus antepassados, um bom cão de guarda tinha sua utilidade em Sunnyside."

Ellen White dispensava um carinho todo especial, não apenas a seu cãozinho de estimação 'Tig', como a todos os demais animais com que tinha contato. No livro Histórias de Minha Avó, p. 17 (CPB), a neta de Ellen, Ella M. Robinson, narra o seguinte: 
“Independentemente de onde morássemos, se houvesse algum animal doméstico por perto, vovó fazia amizade com ele. Assim que os pés dela tocavam o chão do potreiro, o pônei relinchava as boas-vindas e estendia o pescoço para o afago que ele já sabia que receberia. Vovó não suportava ver os animais sendo maltratados porque, dizia ela, ‘eles não podem contar-nos os seus sofrimentos’.”
Noutra ocasião, Ellen escreveu a seus filhos Edson e Willie: 
"Filhos, sejam bondosos com os animais, que não podem falar. Jamais lhes causem desnecessariamente dores. Eduquem-se a si mesmos em hábitos de bondade. Então ela se tornará habitual. Vou mandar para vocês um recorte de jornal, e decidam por vocês mesmos se alguns animais irracionais não são superiores a alguns homens que se permitiram embrutecer-se pelo cruel procedimento com os animais.” – Life Sketches, p. 26, citado em Perguntas que Eu Faria à Irmã White, p. 57
O nosso papel, dado a Deus no Éden, é cuidar, proteger as criaturas dEle. Ellen White nos fala mais:
"Aquele que ama a Deus, não somente amará o seu semelhante, mas considerará com terna compaixão as criaturas que Deus fez. Quando o Espírito de Deus está no homem, leva-o a aliviar o sofrimento antes que a criá-lo.” - Beneficência Social, p. 48
A foto de 'Tig' é do Centro de Pesquisas Ellen G. White

domingo, 22 de maio de 2016

Dia Internacional do Abraço - Bíblia, Pensamentos & Reflexões


O Dia do Abraço, comemorado internacionalmente em 22 de maio, começou pela iniciativa de um homem australiano em 2004, o qual criou a campanha “Free Hugs Campaign”, onde distribuía gratuitamente abraços pelas ruas de Sydney.

Você alguma vez já meditou sobre a importância do abraço? Se você pegar sua Bíblia e lê-la de capa a capa, descobrirá a importância que Deus dá aos relacionamentos, fraternos e amorosos. Deus é um Deus de relacionamentos, e através deles temos a oportunidade de expressarmos amor. E Deus é amor. Ellen G. White nos fala sobre a fraternidade humana no abraço de Deus:
"O santificado amor de uns pelos outros é sagrado. Nesta grande obra o amor cristão mútuo — mais elevado, mais constante, mais cortês, mais abnegado do que se tem visto — preserva a ternura cristã, a benevolência e polidez cristãs e envolve a fraternidade humana no abraço de Deus, reconhecendo a dignidade de que Deus revestiu os direitos do homem. Esta dignidade os cristãos têm de sempre cultivar, para honra e glória de Deus." (Mente, Caráter e Personalidade 1, p. 244)
O abraço, segundo alguns especialistas, faz bem para a saúde psíquica e física. Ele tem o poder de aumentar os níveis de uma substância chamada oxitocina, que tem a particularidade de reduzir os estados de stress e ansiedade, aumentando a felicidade e bem estar das pessoas. O abraço também pode diminuir os riscos de infecções, ajudar quem tem problemas para compartilhar emoções, reduzir a pressão arterial, e até aliviar a dor.

O abraço pode expressar: amor, amizade, companheirismo, proteção, afeto, segurança, apoio, conforto e outros sentimentos. O abraço estabelece uma ligação íntima e saudável entre as pessoas. É um gesto simples, porém carregado de sentimentos. 

Baseado na Bíblia, tentarei passar a importância de abraçarmos uns aos outros. 

Labão e Jacó - Um abraço de boas vindas: 
"E aconteceu que, ouvindo Labão as novas de Jacó, filho de sua irmã, correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, e beijou-o, e levou-o à sua casa; e ele contou a Labão todas estas coisas." Gênesis 24:13 
Esaú e Jacó - Um abraço de perdão: 
"Então Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, e lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram." Gênesis 33:4 
Davi e Jônatas - Um abraço de amizade:
"E, indo-se o moço, levantou-se Davi do lado do sul, e lançou-se sobre o seu rosto em terra, e inclinou-se três vezes; e beijaram-se um ao outro, e choraram juntos, mas Davi chorou muito mais. E disse Jônatas a Davi: Vai-te em paz; o que nós temos jurado ambos em nome do Senhor, dizendo: O Senhor seja entre mim e ti, e entre a minha descendência e a tua descendência, seja perpetuamente." 1 Samuel 20:41, 42
Pai e filho pródigo - Um abraço de compaixão:

"A seguir, levantou-se e foi para seu pai. Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou." Lucas 15:20
Maria Madalena, outras mulheres e Jesus - Um abraço de alegria:
"As mulheres saíram depressa do sepulcro, amedrontadas e cheias de alegria, e foram correndo anunciá-lo aos discípulos de Jesus. De repente, Jesus as encontrou e disse: "Salve!" Elas se aproximaram dEle, abraçaram-lhe os pés e O adoraram." Mateus 28:8, 9
Jesus e as crianças - Um abraço de amor: 
"Alguns traziam crianças a Jesus para que Ele tocasse nelas, mas os discípulos os repreendiam. Quando Jesus viu isso, ficou indignado e lhes disse: "Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele". Em seguida, tomou as crianças nos braços, impôs-lhes as mãos e as abençoou." Marcos 10:13-16
Paulo e os anciãos de Éfeso – Um abraço de despedida: 
"Quando Paulo acabou de falar, ajoelhou-se com os irmãos e orou. Então todos choraram muito e abraçaram e beijaram Paulo." Atos 20:34 
Outra passagem bíblica que fala sobre a importância deste ato:
"Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar." Eclesiastes 3:5
Para concluir, fiquemos com estes três lindos pensamentos sobre o abraço:
"Abraço tem que ter pegada, jeito, curva. Aperto suave, que pode virar colo. Alento tenso, que pode virar despedida. Abraço é confissão. Abraço não pode ser rápido senão é empurrão. Requer cruzamento dos braços e uma demora do rosto no linho. Abraço é para atravessar o nosso corpo." (Fabrício Carpinejar)
“O melhor do abraço é o charme de fazer com que a eternidade caiba em segundos. A mágica de possibilitar que duas pessoas visitem o céu no mesmo instante.” (Ana Jácomo)
"O abraço existe para podermos dizer a pessoa que amamos o quanto a amamos sem dizer nada." (Jorge Clésio)

sexta-feira, 20 de maio de 2016

House of Cards: sabedoria demoníaca


Na premiadíssima série House of Cards, encontramos uma trama que se desenvolve nos bastidores do cenário político americano. Após fazer várias manobras para eleger um candidato à presidência, o congressista Frank Underwood é traído e não recebe a posição política que lhe havia sido prometida.

Através da série, Frank nos conduz em uma longa jornada de retribuição e vingança sobre aqueles que o passaram para trás, mirando em seu próprio gabinete de membros e até no presidente. De forma impetuosa, astuta, metódica e viciosa, Frank, junto com sua igualmente manipuladora e ambiciosa esposa, Clair, percorrem os corredores políticos de Washington, derrubando peça por peça e subindo a escada hierárquica por poder nesse delicado castelo de cartas.

A reação que alimentamos ao assistir a série, varia entre a admiração e a repulsa pelo personagem. Mas é importante observarmos que em nosso dia a dia da famosa vida real, nosso comportamento não costuma ser muito diferente, por menor que seja a escala. Nós manipulamos, omitimos, dobramos, colocamos a mão na consciência e inventamos algo para disfarçar, mas no apagar das luzes, dia sim e dia também, sempre estamos pensando em nós mesmos e em nosso próprio ganho.

Ao se dirigir à sua igreja, Tiago usa uma descrição muito intrigante a respeito da suposta sabedoria que aquelas pessoas desenvolveram. No capítulo 3, versos 14 a 17, ele elucida da seguinte forma:
“…se vocês abrigam no coração inveja amarga e ambição egoísta, não se gloriem disso, nem neguem a verdade. Esse tipo de “sabedoria” não vem do céu, mas é terrena, não é espiritual e é demoníaca. Pois onde há inveja e ambição egoísta, aí há confusão e toda espécie de males. Mas a sabedoria que vem do alto é antes de tudo pura; depois, pacífica, amável, compreensiva, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sincera.”
Tiago destaca que uma sabedoria que age sempre em favor de si mesma, é uma sabedoria demoníaca. Para ele, a sabedoria que vem de Deus produz paz, amor, compreensão, misericórdia e perdão. No capítulo 4 ele vai dizer que as guerras e intrigas que acontecem no mundo, ocorrem por causa da ambição de nossos corações e de nossos desejos egoístas.

Mas ele completa explicando que Deus concede graça maior. Se nos humilharmos e nos afastarmos de nossa ambição, e purificarmos nosso coração dividido buscando a Deus, ele nos exaltará. Que nossa sabedoria e capacidade seja sempre usada para gerar frutos de amor, justiça e paz.

Isaque Resende (via Cinegoga)

O que Leonardo Gonçalves vai deixar para as próximas gerações


1 de abril de 2016. Em uma sexta-feira ensolarada, Leonardo Gonçalves anuncia o improvável para alguém no auge da carreira: a despedida dos holofotes. Não houve o silêncio comum, característico de quando se recebe uma notícia inesperada e triste. Os tempos são mesmo outros. Houve sim um estardalhaço nas redes sociais, iniciado por alguns de seus mais de 1 milhão de seguidores, aqueles que chegaram ao fim do texto de apresentação da turnê 2016 de “Principio”. Depois de 21 anos de carreira, o artista realizará as últimas apresentações e partirá para o novo. O tão cantado do álbum “Principio e Fim” (2012)? Talvez. O que se sabe é que Leonardo Gonçalves vai deixar para as próximas gerações uma prescrição sofisticada de como tratar a música.

Sensibilidade e técnica. Composição simples, porém de arranjos elaborados. Como ser um artista sensível quando esta habilidade necessita de silêncio e contemplação? Poucos conseguem. Sensibilidade é saber perceber. Mas percepção, analisando suas particularidades artísticas, é o entendimento de como cada elemento se relaciona um com o outro. Sim, é um tipo de sensibilidade que vai um pouco além da capacidade de (apenas) sentir. Tem mais a ver com o cuidado típico das ciências, que não deixa de ver significado mesmo – ou principalmente – nos detalhes. Seria a sua criação alemã? Talvez. Melhor, contudo, é pensar que a dedicação que empenhou durante os 21 anos é a mesma que está à disposição de qualquer um.

Muito de sua base musical vem da própria família. O tio maestro, Williams Costa Júnior, é um dos mais respeitados nomes da música adventista. Mas tem mais. Tia, prima e grandes amigos. Crescer em um colégio interno pode parecer assustador para a maior parte dos adolescentes. Não, normalmente, para os adventistas. A experiência que se adquire “nos anos de colégio”, na vida adulta torna-se uma das melhores lembranças. Quem teve o privilégio de viver os 20 anos de Leonardo Gonçalves jamais esquecerá os duetos, por exemplo, com os seus contemporâneos, ou mesmo com outro gigante: Sergio Saas. Juntos, lançaram a moda do melisma. Que febre! Muitas vezes insuportável…

Então, se faz claro que sua sensibilidade não tem a ver com o estilo religioso que define sua vocação, mas com a música enquanto linguagem – o que posiciona ainda mais o seu legado. Leonardo Gonçalves rompeu uma barreira interessante de segmento. As letras de “Principio” tratam sim de assuntos teológicos, mas elas também vão além, falam de valores morais que fazem parte da vida de qualquer um. Por isso não é sem razão que cantores como Thiaguinho ou Ed Motta se rendem à sua música. O objetivo parece ser alcançar toda a dimensão humana. Arte trata disso. O humano do homem. Ainda que a música religiosa tenha se tornado um nicho lucrativo de mercado, a religião não perde o seu papel de inspirar a Arte.

É difícil pensar que um dia Leonardo Gonçalves cantou, digamos, muito mal. Por isso a técnica é um ponto a se destacar de sua trajetória. Foi o desenvolvimento da técnica que o tornou um dos nomes mais respeitáveis da música, independentemente de segmento. Interessante notar que o significado da palavra técnica é arte – ou ciência. “Téchne” é o meio pelo qual se chega a um objetivo.

Uma voz que almeja ser perfeita não encontra nos limites da tessitura ou afinação os principais obstáculos, mas talvez na preguiça a que desperta a repetição. Compreender a importância da técnica é de antemão estar consciente de que nenhum trabalho se solidifica se não mantém uma rotina para ser apurado. Não apenas feito, mas apurado, melhorado. Técnica e disciplina, neste caso, são indissociáveis.

Disse uma vez Goethe que os grandes sacrifícios são fáceis, contudo, são os pequenos e cotidianos que nos custam. Leonardo Gonçalves vai deixar para as próximas gerações o apreço pela técnica, a provocação de ir todos os dias um pouco além, de desafiar os próprios limites – não ignorá-los, mas desafiá-los, o que é completamente diferente. E porque vivemos em um tempo em que há certo desprezo por tudo o que demora – do metrô às respostas em redes sociais – e associa-se à sorte ou à esperteza quase todo o tipo de sucesso – dedicar-se a algo no bom e velho estilo “no pain, no gain”, é coisa de gente obsessiva. Eis mais uma razão que o coloca como um nome que deixará um legado. Leonardo Gonçalves não apenas não despreza a técnica como nunca optou por atalhos.

Viver a experiência da música de Leonardo Gonçalves em grandes teatros é a prova de que algumas categorias ideológicas não o definem mais. Há quase três anos, a liberdade o ofereceu para os milhões de ouvidos do mundo. “Sublime”, o primeiro single lançado no canal VEVO, no YouTube, alcançou 1 milhão de visualizações em dois meses. Hoje, são mais de 14 milhões de acessos. A canção que abre o irretocável DVD, dirigido por Hugo Pessoa, resume tudo o que Leonardo Gonçalves já fez hoje: o palco simples; o show simples; a música simples, mas a sua interpretação… O resultado daquilo que um sentimento religioso inspira nunca é banal, ao contrário, é pura extravagância.

O que Leonardo Gonçalves vai deixar para as próximas gerações é o caminho aberto para o diálogo inter-religioso por meio da música. Ele canta com padres, com céticos, com corações abertos. É a recuperação da música que produz sentidos e nada mais.

Eliana de Castro (via Fausto) (Foto: Lucas Motta)

Há tempo pra tudo - Turn! Turn! Turn!


Esta reflexão faz referências a um texto muito conhecido, encontrado na Bíblia. Aqui não vai a menor tentativa de proselitismo ou de considerações religiosas. A Bíblia é tida na conta, sobretudo, de um livro de sabedoria milenar. Esse texto é um belo, poético e instigante cântico de Salomão, o terceiro rei de Israel, considerado um dos homens mais sábios que já existiram, e se alguém tiver curiosidade de lê-lo na íntegra poderá procura-lo no livro de Eclesiastes

Nos anos 60, entre outras manifestações culturais, o início desse texto deu origem a uma simples e bela composição do grupo americano de rock, The Byrds (foto), contemporâneo dos ingleses The Beatles e tão genial, revolucionário e talentoso quanto eles. A canção chama-se “Turn, Turn, Turn”, música de Pete Seeger. Há quem diga que os Byrds lançaram esta música como um protesto pessoal contra Bob Dylan, e também para afrontar as ondas de guerra e violência da época. Quem quiser recordar e se emocionar, feche os olhos e ouça essa maravilha...



Basicamente o texto do Eclesiastes diz que há tempos e momentos específicos para todo propósito que o homem possa ter ao longo de sua vida. Assim, há tempo para nascer e tempo para morrer, tempo para derrubar e tempo para edificar, tempo de estar calado e tempo de falar, tempo de espalhar e tempo de ajuntar... e assim por diante. E continua fazendo-nos pensar sobre nossa condição humana, sobre nosso trabalho e o direito que temos a desfrutar daquilo que o mesmo nos propicia. Há inúmeras reflexões espirituais que se pode tirar desse texto tão simples quanto profundo, mas não vou me deter nelas, respeitando o direito de cada um crer ou não crer naquilo que quiser. No entanto, há algumas lições comuns de vida a inferir dele. 

A que eu quero deixar aqui é a capacidade que devemos ter de esperar o momento certo para que cada coisa possa ser feita, cada ação empreendida, cada atitude tomada, de forma tempestiva, sem prejuízo, é claro, do propósito e objetivo final que se queira alcançar. Agir com a emoção, mas agir, sobretudo, racionalmente, saber esperar, pode ser a maneira certa de finalmente conseguirmos desfrutar daquilo que conquistamos. 

Não importa onde você se encontra em sua caminhada nessa vida, mesmo que as coisas não saiam do jeito que você quer e acha que precisa, a melhor atitude é não desistir nunca, mas voltar, voltar, voltar e viver, esperar e tentar novamente. Talvez seja essa a razão do emblemático refrão adicionado pelos Byrds.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Declaração da Igreja Adventista sobre a queda do avião da EgyptAir


Um avião Airbus 320 da EgyptAir, que ia de Paris (França) ao Cairo (Egito), desapareceu na madrugada desta quinta-feira, quando sobrevoava o mar Mediterrâneo. A aeronave sumiu por volta das 2h45 desta quinta (horário local, 21h45 de quarta-feira no horário de Brasília), com 66 pessoas a bordo de 12 nacionalidades diferentes — 56 passageiros e 10 tripulantes (sendo três agentes de segurança), que viajavam no voo MS804. As autoridades francesas confirmaram que o voo caiu no mar Mediterrâneo e não descartam a hipótese de terrorismo.

"Mais uma vez, um trágico acontecimento é manchete na Europa. Estamos profundamente entristecidos pelo desaparecimento do avião", disse o departamento de relações públicas da Divisão Inter-Europeia da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

"Que as nossas orações, compaixão e condolências tragam conforto a todos aqueles que perderam seus entes queridos. Que Deus lhes traga conforto durante este momento difícil. Oremos para que Deus lhes conceda a força necessária para superar este momento terrível em suas vidas."

Com informações de Adventist News Network

Como fazer uma higiene mental em 10 passos - Por Ellen G. White


Os hábitos saudáveis são importantes tanto para o corpo como para a mente. No entanto, os hábitos de higiene mental não costumam estar incorporados dentro das caraterísticas de um estilo de vida saudável. Se tivermos hábitos de higiene mental adequados, podemos prevenir várias doenças e transtornos que têm raiz nos nossos medos, ansiedades, representações. É por isso que se considera de extrema importância tratar de incorporar certos hábitos para ter uma adequada higiene mental.

Os dez passos a seguir para se fazer uma higiene mental foram extraídos do livro Mente, Caráter e Personalidade 2, pp. 442 a 449, de Ellen G. White:

1. As faculdades mentais dependem da saúde 
A saúde é uma bênção da qual poucos apreciam o valor; todavia, dela depende grandemente a eficiência de nossas faculdades físicas e mentais. Nossos impulsos e paixões têm no corpo sua sede, e o mesmo deve ser conservado nas melhores condições físicas e sob as mais espirituais influências, a fim de nossos talentos serem empregados para os mais elevados fins. Tudo quanto diminui a resistência física enfraquece a mente, tornando-a menos capaz de discernir entre o direito e o erro. 

2. Alvos estimulam a mente 
Deveis também ter um alvo, um propósito na vida. Não havendo propósito, vem a disposição à indolência; mas havendo em vista um objetivo suficientemente importante, todas as faculdades da mente entrarão em espontânea atividade. Para fazer da vida um êxito, os pensamentos têm de fixar-se firmemente no objetivo da vida, não os deixando a vagar e ocupar-se com coisas de somenos importância, ou satisfazer-se com ociosos devaneios, que são fruto da fuga da responsabilidade. Estar a construir castelos deprava a mente.

3. Hábitos errôneos na alimentação
Um estômago perturbado produz um estado mental incerto e perturbado. Causa muitas vezes irritabilidade, aspereza ou injustiça. Muito plano que haveria sido uma bênção para o mundo tem sido posto à margem; muitas medidas injustas, opressivas e mesmo cruéis têm sido executadas em resultado de estados enfermos, resultantes de hábitos errôneos no comer.

4. Hábitos físicos corretos
Hábitos físicos corretos promovem a superioridade mental. Faculdade intelectual, força física e longevidade dependem de leis imutáveis. O mau uso, ou a falta de uso da capacidade física é, em grande parte, responsável pela onda de corrupção que se está espalhando pelo mundo.

5. Evitar excesso de trabalho
Ouço falar de obreiros cuja saúde está falhando sob a tensão dos encargos que sobre eles pesam. Isto não deveria acontecer. Deus quer que nos lembremos de que somos mortais. Não devemos abarcar demasiado em nosso trabalho. É preciso não nos mantermos sob tal tensão que nossas faculdades mentais e físicas fiquem exaustas. Necessitam-se mais obreiros, a fim de que alguns dos encargos sejam removidos dos que se encontram agora tão duramente sobrecarregados.

6. Estudo excessivo diminui o domínio próprio
O estudo excessivo, em virtude de aumentar a corrente do sangue para o cérebro, cria uma excitabilidade mórbida que tende a diminuir o poder do domínio próprio, e muitíssimas vezes dá lugar a impulso e capricho. Assim se abre a porta à impureza. 

7. Variar o assunto dos pensamentos 
Perseguindo uma única série de pensamentos, com frequência se torna o espírito propenso apenas para um lado. Cada faculdade, porém, pode ser exercida com segurança, se as capacidades mentais e físicas forem aplicadas igualmente, e o assunto dos pensamentos for variado.

8. Simplicidade nos hábitos 
Aquele que observar a simplicidade em todos os seus hábitos, restringindo o apetite e controlando as paixões, pode conservar suas faculdades mentais fortes, ativas e vigorosas, ligeiras para perceber tudo que exija pensamento ou ação, perspicazes para distinguir entre o santo e o profano, e prontos a empenhar-se em qualquer empreendimento para a glória de Deus e o benefício da humanidade.

9. O estudo da natureza fortalece as faculdades 
Nestes ensinos tirados diretamente da Natureza há uma simplicidade e candura que lhes emprestam o maior valor. Todos necessitam das lições oriundas dessa fonte. Em si mesmo o encanto da Natureza desvia a alma, do pecado e das atrações mundanas, para a pureza, para a paz e para Deus. Desta maneira as faculdades mentais são fortalecidas, desenvolvido o caráter e toda a vida enobrecida.

10. O estudo bíblico dá poder à mente
Os que têm fome de conhecimento para tornarem-se uma bênção para os semelhantes, receberão eles mesmos bênçãos de Deus. Pelo estudo da Palavra, suas forças mentais serão estimuladas a uma atividade fervorosa. Haverá expansão e desenvolvimento das faculdades, e a mente adquirirá capacidade e eficiência. Aquele que der às Escrituras uma rigorosa atenção, acompanhada de oração, alcançará uma compreensão nítida e são raciocínio, como se, volvendo-se para Deus, tivesse ele atingido um mais elevado plano de inteligência.